quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Carpas ao Spinning é possível? E porque não?



A carpa é omnivera, ou seja come de tudo, raramente é apanhada ao spinning porque não é o objectivo final, no entanto se apostarmos em vários factores é possível se bem que não é captura corrente capturar alguns destes peixes.

Na minha opinião é fundamental ter um meio de transporte aquático que nos leve aos lugares mais escondidos e onde a pressão de pesca é menor.

Uma boa altura para a pesca destes peixes é o final do verão, nesta altura as árvores de fruto junto á água libertam os frutos que ou por estar maduros ou porque os pássaros penicaram acabam por cair na água e logo abaixo estão as carpas e barbos a espera.


Um bom ponto de partida para apanhar carpas ou barbos ao spinning é então procura-los ao nascer ou por do sol onde junto á água tenha amoras, uvas e outras frutas que possam cair e oferecer alimento.

No entanto fora destas horas é também possível apanhá-las, nas horas em que está bom calor basta encontrar uma árvore com as folhas a tocar a água, seguramente nessa sombra há peixe.

Os melhores artificiais devem ser pequenos crunk pois apesar de tanto os barbos como as carpas poderem atingir bons tamanhos as suas bocas são bastante pequenas, algo importante é os triplos serem de excelente qualidade por motivos óbvios.

As cores mais produtivas são na minha opinião as mais berrantes, já que apesar de comerem peixe esse não é o seu alimento habitual, então o objectivo passa mesmo por irritá-las.

O lançamento quer-se ruidoso, se estiverem a pescar na tal zona de frutos pois o barulho de algo a cair na água quer muitas vezes dizer comida, se estivermos a pescar nas sombras das árvores o lançamento deverá ser delicado, o peixe vai estar inactivo e desconfiado e não o queremos afugentar.

A amostra deve ser afundante, isto porque apesar de muitas vezes comerem os frutos no cimo de água é no fundo que geralmente se alimentam, aqui não vamos fazer grandes recuperações, a amostra vai funcionar quase como um pequeno jig, ou seja, deixem repousar a amostra no fundo, como estão perto da margem a profundidade não vai ser muita pelo que deve de ser rápida, ao levantarem a ponteira da cana a amostra vai sair do fundo quase na vertical a nadar para voltar a cair, é ir fazendo isso até a amostra estar junto a vocês.

Boas pescas e lembrem-se de libertar sempre nas melhores condições


2 comentários:

  1. Ao contrário do que possa parecer, é verdade que se capturam carpas ao spinning...conheço um exemplo onde foi capturada uma com cerca de 8kg na barragem da bemposta. Já agora,em que zona do douro foi capturado este exemplar?

    ResponderEliminar